Editora Mensagem - Luanda

Não existe em lado nenhum do Mundo - Futuro... sem Educação!

Actualidade

Actualidade

Os pontos nos i!

Angola e a questão dos livros escolares 

Antes de pôr a boca no trombone

Desmistificar… minimamente, a natureza do poder e o que é a sociedade angolana actual.

 

- Muitas pessoas… infelizmente parecem estar paradas no tempo em termos políticos… não sabem o que é a dialéctica e analisar o processo histórico, nem mesmo a mudança dos contextos que explicam certas mudanças e comportamentos.

Assim e antes de entrar-mos na denúncia concreta e documentada sobre a corrupção continuada dos livros escolares em Angola e a forma como foi montada a teia… e nomeadamente a partir das determinações governamentais havidas com a publicação do Despacho do Governo 4/09 de Abril de 2009.

Para que se compreenda a questão da gigantesca burla dos livros escolares… é preciso primeiro… compreender a natureza perversa do poder em Angola… apesar das aparências e do que se diz. Nomeadamente o que se passou… depois de Bicesse… e que a pretexto da chamada abertura para a democracia… a imposição da chamada economia de mercado… Angola passou a ser dirigida pelos assimilados do colonialismo português… até hoje… e alguns nacionalistas que de certa forma se foram mantendo... muitos venderam a alma ao diabo e foram-se acomodando... às vantagens pessoais, afastando-se definitivamente dos objectivos da luta de libertação nacional… outros foram afastados compulsivamente... ou metidos na prateleira... ou se renderam ao capitalismo nascente... sem capitalistas e imposto de fora para dentro, pelas possibilidades abertas pela conjuntura internacional... submeteram Angola.

Claro que não é fácil fugir ao destino… o fim da URSS deixou Angola prisioneira da guerra fria… obediente e submissa, para não sofrer pressões, sanções e chantagens.

A pouca sorte dos angolanos, que foram trucidados pelo processo histórico, mesmo após a sua independência… a influência da guerra fria nos movimentos de libertação… a dura caminhada iniciada para edificar a sociedade angolana após a independência… porém... pouco mais de dez anos depois… pela mudança brusca do contexto... Angola é obrigada a entregar-se ao capitalismo selvagem… sem a existência de uma classe empresarial minimamente formada e capaz… entregaram tudo aos assimilados… que eram a nata do colonialismo português e que estavam preparados antes, para a sucessão neo-colonial... e os únicos que tinham educação escolar… assim... assumiram o poder político e a economia em geral, mesmo sem terem conquistado a presidência, que foi garantindo, apesar de tudo, a paz, a soberania e independência nacional.

A partir de certa altura… já depois do dobrar deste século… uma grande maioria de homens e mulheres do poder assimilado e não só… decidiram bater com a mão na mesa… e organizaram-se entre eles… e disseram: também queremos ficar ricos… Nunca mais houve quem fosse capaz de os travar, e controlar o saque impiedoso sobre o Estado Angolano, depredado em todos os domínios onde houvesse propriedades, interesses e rios de dinheiro para sacar e desviar para o estrangeiro, nomeadamente para os paraísos fiscais.

- Acredito que o actual presidente da Republica de Angola, queira combater a praga generalizada da corrupção… mas Angola é prisioneira das elites assimiladas que conquistaram facilmente o poder… o político, económico e financeiro.

Em Angola nenhum dirigente político enriqueceu naturalmente por outra razão… que não fosse pela depredação e desvios do que era do povo e do Estado Angolano.

Pelo que o problema da educação é uma ação que foi congeminada de enriquecimento imoral, o propósito e importante para eles... é manter o povo na ignorância a fim de assegurarem o domino e a exploração sobre o povo… que nem sequer sabe ou percebe bem do que se passa na vida social e política… e nem sequer sabe... que desde 2009 os livros escolares pagos pelo Estado e destinado aos seus filhos… é um gigantesco processo fraudulento… que continua em curso… pela falsa facturação das gráficas, que não fazem os livros… e mantém um acordo secreto e capcioso com essa gente do poder, para continuarem a desviar e acumular milhões, aos rios de dinheiro… que continuam a ir parar às suas contas particulares… abertas em paraísos fiscais e em bancos internacionais e para a compra de propriedades no estrangeiro.

- Para que se saiba em primeira mão… antecipo já outra informação lesa-pátria… que está em curso… a entrega do mercado do livro escolar… desde a primária ao ensino médio… a duas editoras estrangeiras… e um dos dois principais mentores que dirige o polvo dos livros escolares e do assalto às estruturas produtivas e distribuição do Ministério da Educação de Angola... encontrou-se no Porto, por várias vezes a convite dessa poderosa editora… com quem negociou um acordo de traição nacional na educação aos alunos, ao povo e ao nacionalismo angolano... entregando a criação de conteúdos e a execução dos manuais escolares a uma grande empresa da antiga potência colonial... as contrapartidas obviamente que são chorudas... um mercado de tantos milhões de alunos e de livros... vale um mina de ouro... e o dinheiro não fala... fica bem escondido no segredo das caixas fortes dos bancos! 

António Jorge editor e livreiro em Angola