Editora Mensagem - Luanda

Não existe em lado nenhum do Mundo - Futuro... sem Educação!

Em representação da Associação 25 de Abril em Angola em Seminário Internacional dos Estudantes Universitários de Língua portuguesa na antiga, Assembleia Nacional da República de Angola

CARTA ENVIADA HOJE POR MIM AO FACEBOOK, EM NOME DA EDITORA MENSAGEM!

Página Editora Mensagem - Luanda

- Esta página tem 916 gostos. O primeiro texto desta Página, "Carta Aberta aos Ministérios da Educação e da Indústria de Angola", teve quase 6700 (seis mil e setecentos gostos) quase 300 comentários e algumas centenas de partilhas.

Estes gostos, comentários e partilhas, vieram quase todos de Angola, onde a Editora Mensagem, tem a sua sede social.

Desde há cerca de um mês... sinto estar a ser bloqueado... sabotado nas minhas páginas facebook, a partir de Angola... por razões políticas... Dado esta Editora, estar a denunciar os crimes da corrupção em Angola, relacionados com a falta de livros no ensino primário desde 2009... apesar de pagos pelo Estado Angolano às gráficas... que apenas facturam, sem realizar a obra... e cujo dinheiro na ordem de muitas centenas de milhões de dólares, vai parar aos paraísos fiscais, para as contas bancárias de um significativo número de Ministros e outros ligados a este escabroso processo, que está a lesar milhões de crianças em idade escolar em Angola.

Não entendo porque as pessoas de Angola, que deram o seu gosto à Página da Editora Mensagem... vem como, os que deram gostos aos textos publicados, comentaram e partilharam... como que por magia desapareceram... e não os posso contactar... ao ponto de me anularem o funcionamento regular do messenger... e fazerem desaparecer os links, enviados por messenger, para mim sobre publicações em Angola, de amigos meus.

Sem mais de momento, muito agradeço uma resposta cabal e esclarecedora... porque não quero acreditar, que o facebook possa estar ligado a qualquer boicote e manipulação, ao serviço de uma cáfila de criminosos.

António Jorge - editor e livreiro em Angola - Em 14 de agosto 2019

António Jorge - editor e livreiro, aqui no seu gabinete de trabalho na Livraria Editora Mensagem em Luanda... e que é também... o responsável editor deste Site!

O IDH e Angola! Índice de Desenvolvimento Humano - Posição de Angola no ranking mundial relacionado com o índice de desenvolvimento humano, que como se sabe, é composto pelo PIB de cada país, os níveis de desenvolvimento da educação e da esperança média de vida da população. - Apesar das defeituosas e falsas estatísticas… que Angola, quase não tem nada de credível e nomeadamente sobre a alfabetização e a educação em geral, e para esconderem a realidade que é bem pior do que nos é apresentado como estatística. E considerando ainda que, apesar da paz conquistada tardiamente, só em 2001, porém, como se sabe… uma enorme concentração de pessoas devido às consequências da guerra…. da luta pela sobrevivência e dos negócios… vivem nas cidades… só Luanda tem mais de 1/3 da população do país, Benguela e outras cidades em geral, onde não havia guerra… apesar dos seus efeitos na segurança das pessoas e bens… é onde está ainda concentrada a grande maioria da população, os dados sobre a educação e do número de alfabetizados em Angola, mesmo assim... colocam sem justificação, Angola nos últimos lugares do ranking da educação no Mundo... e na África. A partir de 2009, e apesar da enorme subida da economia e do PIB, resultante da exploração do petróleo, a situação da educação em Angola paradoxalmente piorou desde esta altura... e… enriqueceu alguns pouco sensíveis às questões sociais e aos interesse nacionais, que a custa da miséria e do roubo na educação, se transformaram em milionários… à custa de milhões de crianças que atiraram para a ignorância… e atrasaram Angola por muitas décadas... se não se inverterem estas políticas e práticas... rumo ao futuro que assim não se vislumbra. Tem culpados... que eu posso apontar o dedo e dizer os seus nomes... e isto apesar dos rios de dinheiro aplicados cinicamente sob a falsa... promessa propagandeada do ensino universal e gratuito para todos. Não foram exclusivamente só os poderes ligados à educação e à indústria que enriqueceram pelo processo… em cada ano, mais e mais personalidades exigiam entrar nele... no processo… foi um grande e interminável carrocel de interesses espúrios e perversos a enfardar dinheiro… todos estes anos… lectivos! Em 2012... apesar do bom momento da economia da angolana a situação na educação em Angola, piorou… drasticamente por esta altura, ocupava e ocupa ainda uma desonrosa posição… nos últimos lugares… a 145ª. posição mundial no contexto das Nações Unidas. Mesmo... e apesar da queda da economia Angolana a partir da crise e devido aos preços internacionais do preço do petróleo em 2014... em 2017, ocupava apesar de tudo uma posição confortável no Continente... era o 10º. país em termos do PIB, num conjunto de 41 países africanos... porém a educação é apenas um falso pretexto… que apenas serve para a saída de grandes volumes de dinheiro e do… enriquecimento fraudulento das elites assimiladas que empobrecem Angola e o seu povo. - Ao ponto de destruírem todo o edifício editorial que Angola já tinha… e entregarem o mercado do livro escolar em Angola a uma grande editora estrangeira da ex.potência colonial… uma mina de ouro de mais de 10 milhões de alunos… por quanto? Ganham e ganharam em todos os campos à custa da dignidade e independência nacional… e conseguiram fazer o pleno à custa do futuro... sem prazo de Angola! ...Até quando? António Jorge editor e livreiro em Angola

Eu... Angola e os livros escolares

1 - Não vou largar este processo… custe o que custar… até que se faça justiça, nomeadamente às crianças do ensino primário de Angola, que não recebem os livros escolares a que tem direito e que o Estado prometeu e pagou… e que lhes não são entregues desde 2009.

2 - E enquanto não pagarem as dívidas de fornecimentos… nem prestarem contas dos valores de direitos de autor pertencentes à Editora Mensagem, no quadro do estabelecido pelo Despacho do Primeiro Ministro Nº. 4/09 de 30 de Abril de 2009.

- Passei um terço da minha vida em Angola 1994-2017 A parte final da minha vida profissional activa. Como consequência… desse tempo fora… perdi cerca de metade do valor da minha reforma em Portugal. Tenho ainda… dois filhos ainda estudantes… e que são a única riqueza que trouxe de Angola…

Uma rapariga de 19 anos e um rapaz de 14. Por estas e por outras razões, não vou desistir desta luta Dos livros escolares em Angola. Primeiro; porque sou credor do Ministério da Educação e da Indústria de Angola, pela Editora Mensagem: … e do INIDE-ME… que se apropriou dos valores das editoras, em contas bancárias da empresa Ideias & Conceitos, Lda… empresa que retinha, abusivamente os nossos direitos autorais e que apesar de sucessivamente instada…

Nunca nos prestou contas… essa empresa “fantasma” que funcionava… até finais do ano passado no INIDE e era dirigida pelo Dr. David Leonardo Chivela, anterior director-geral do INIDE, instituição do Ministério da Educação. Segundo: Ser a Editora das Letras, com sede em Luanda, uma estrutura criada no âmbito do plano de assalto às estruturas produtivas, editoriais e distributivas do Ministério da Educação e intimamente ligada ao polvo da corrupção dos livros escolares e dirigida… ainda, pelos seus dois testas de ferro estrangeiros… e porque estes, não honraram o compromisso de nos ressarcir da divida endossada pelo referido Ministério da Educação, conforme o determinado superiormente… uma factura de fornecimento de livros produzidos por nós em Portugal, para o primeiro ciclo, facturados e entregues em 10 de maio de 2012 ao Ministério da Educação de Angola. Não podemos… mesmo que por omissão… e porque nada temos a ver com a corrupção dos livros escolares… aceitar qualquer situação por esclarecer…

E ainda nem sequer sabemos, que movimentos… montantes e de que forma, feitos em nosso nome… e ainda o saber-mos existir na dívida pública privada, valores em nome da referida empresa, Conceitos & Ideias, Lda… valores esses que pertencem às editoras… e que estão titulados em seu nome… da Ideias & Conceitos, Lda… imagine-se como credora do Estado Angolano.

Editora Mensagem - Luanda António Jorge - Editor e Livreiro em Angola

ESCOLA E ARITMÉTICA DA VIDA!

Mudou o poder

...mas os beneficiados são os mesmos de antes...

 

Explicações devidas por mim!

- Chegou o momento de eu também me preocupar e lutar por mim...

Que sempre fiquei para o fim!

Acho que apesar das conquistas... fui sempre um revolucionário romântico ou ingénuo... alguns... dos meus velhos tempos de lutas... e tidos como coerentes... estão bem de vida.

É esta a razão de desde há algum tempo eu... Não aparecer... ou publicar tanto... como antes publicava. Preciso concentrar-me... para antes de agir pensar... é uma luta ora aberta e intensa... ora subtil e melindrosa... feita com pinças... às vezes, como de uma micro cirurgia se tratasse... tal é a delicadeza e grandeza do que está em causa... e com quem. - Mas que não pode parar... seja ela feita... de uma ou outra forma em função das circunstâncias.

Sei que vai ser difícil, duro... e prolongado, mas vou aguentar e ganhar... sei da razão e da força moral dos meus argumentos... e da minha capacidade para lutar, quando acredito e me exponho assim pessoalmente... e tão abertamente. O problema desta luta complexa, é o de não ser feita com pessoas em concreto... mas com entidades publicas do poder... poder esse que apesar dos desvios... e de outras perversões assimiladas... eu devo respeitar... o Estado é o povo organizado... apesar deste pouco se preocupar com os problemas do povo... por a sua ação ser, injustificadamente contrária aos verdadeiros interesses nacionais dos povos... que se libertaram do jugo do colonialismo... mas... continuam amarrados no tempo e no espaço... sem verdadeiro desenvolvimento económico e social... e de que a educação é o melhor reflexo... e por isso continuarem a ser prisioneiros da herança obscurantista do passado colonial... e agora da cultura e dos interesses dos assimilados no poder e dos seus aliados internos e externos.

António Jorge editor e livreiro em Angola

"Sem acesso a educação capaz, não existe de facto verdadeira independência… mas dependência! Nem há progresso nem futuro! “Sem educação básica capaz, compromete-se o desenvolvimento no ensino médio e superior… e perdem-se as capacidades naturais cognitivas na idade do ensino primário… assim sendo, não existem capacidades africanas para potenciar o saber e o conhecimento, para realização do trabalho qualificado… que fica para os expatriados. E a norte do Hemisfério, continuam os mesmos a beneficiar das riquezas da terra a sul… e do trabalho pesado e escravo… e a sul também… os aliados dos norte colonialista e explorador… os assimilados” António Jorge

 

Não fui para Angola para enriquecer... Nem corromper, nem ser corrompido!

- Mas antes para realizar e fazer o que gostava... e poder ajudar.

De certa forma em Angola, renasci para a vida... vivi momentos inesquecíveis... outros menos bons, até que regressei ao Porto, embora me mantenha ligado a Angola, por razões sentimentais e de laços de familia criados... tenho filhos angolanos e pela Editora Mensagem de que continuo a ser editor e director executivo.

Da minha iniciativa, alguma criatividade e empenho, nasceria em Angola: O Primeiro Campeonato Nacional de Literatura, Infanto-Juvenil e o Concurso Nacional de Desenho e Pintura em 2004. Este evento teve um orçamento superior a 200 mil dólares, e ainda alguma... participação oficial de alguns Ministérios do Estado Angolano, principalmente o Ministério da Educação e da Comunicação Social, além da UNICEF, da UNESCO e das Embaixadas de Portugal, Cuba e Brasil e de algumas empresas privadas que apoiaram e financiaram esta importante iniciativa escolar.

Também fui apoiado em termos da importância e divulgação pública desta ideia, realizada ainda em tempos difíceis para Angola e a unidade do seu povo... Por isso o tema desse 1º. Campeonato Nacional realizado nas escolas primárias do país, estava subordinado também com a questão da PAZ em Angola.

Iniciativa em que fui apoiado pela Dr. Maria Eugénia Neto, pela sua presença para debater estas questões comigo... na televisão - na TPA.

Como se sabe a Maria Eugénia é a viúva do primeiro presidente de Angola, livre e independente, o saudoso Dr. António Agostinho Neto, ela foi a sua inseparável companheira e esposa.

Nota: Este 1º. campeonato de literatura em Angola, foi realizado em 2004, e nada tem a ver com o realizado em Portugal, que só foi feito... um ano depois em 2005, por Bárbara Guimarães.

António Jorge

Memórias de Angola (1)

Para que não se pense que sou apenas... um teórico - Não!

Por onde passei, deixei a marca das minhas ideias e colaboração por um Mundo melhor, mais fraterno e justo.

Aqui, neste pequeno prospecto, a grandeza dessas ideias num acto solidário, construtor de unidade na ação, contra a ignorância e a alienação, pela interpretação literária e a descoberta de talentos cognitivos, em nome da paz e do desenvolvimento de Angola e da África.

Claro que é pouco, apenas tenho ideias e vontade em ajudar. Mas tentei puxar pelo que deve ser a prioridade de um país. - Pela educação, alicerce principal e inultrapassável, para a construção de sociedades mais desenvolvidas e de justiça social.

Este Campeonato Nacional de Literatura Infanto-Juvenil realizado nas escolas angolanas em 2004 e agregando a este, o Concurso de Desenho e Pintura, em torno do tema da paz, foi realizado no ano anterior, ao campeonato sobre literatura feito em Portugal, um ano depois. (Não foi copiado., daí este meu esclarecimento).

Esta iniciativa foi concretizada através da Livraria Mensagem, de que fui seu fundador em Luanda e teve apoios de entidades oficiais e privadas e do organismos internacionais ligados à educação da ONU, tais como a UNICEF, UNESCO e PNUD, além de Embaixadas; de Portugal, Cuba, e Japão e da Associação 25 de Abril em Angola, de que fui seu Vice-presidente.

Mais do que nunca a educação em Angola precisa de ser colocada na ordem do dia... e não se deve hipotecar a educação de um país na elaboração de conteúdos e influências, na antiga potência colonial... é um crime histórico e cultural... o país precisa é de re-descobrir-se e resgatar os valores da sua luta de libertação nacional pela independência e dignidade... e combater as sequelas assimiladas do colonialismo no poder, que persistem em contrariar o progresso e bem estar do povo... e que deverão ser erradicadas do poder... para a boa governação do país se preocupar em interpretar e retornar aos valores dos ideais da independência... com substância e desenvolvimento de Angola, para a felicidade do seu povo.

António Jorge